Métodos de Investigação Criminal



Aqui encontrarás aspectos importantíssimos sobre o local do crime. O que se deve ou não fazer no ínicio e no decorrer da investigação; a segurança do local e a recolha de provas.

Local do Crime



Existem três fases no uso da cena do crime como fonte de provas e informação:
1- Notificação e resposta inicial;
2- Pôr a cena do crime em segurança isolando-a, documentá-la e pesquisá-la para tentar encontrar provas e/ou retirar informações;
3- Levantamento dos objectos.    



1. Notificação inicial

A notificação inicial de um crime, normalmente, vem de uma de três fontes:
· Chamada de emergência
· Chamada para um agente da autoridade
· Descoberta pelo agente da autoridadeDepois de alertadas, as autoridades vão para a cena do crime.

É importante que, quando possível, informação acerca da data, hora, etc, seja anotada. Também é essencial apontar informação acerca da pessoa que chamou as autoridades para um contacto posterior, se necessário.   


Resposta Inicial

O agente deve:
· Tentar determinar se o crime ainda está a ser executado. Se sim, o oficial deve chamar um número apropriado de agentes, para assegurar a segurança e tentar apreender o suspeito de acordo com o plano táctico de patrulha apropriado.
· Determinar se alguma informação acerca do suspeito foi transmitida à patrulha (descrição do sujeito ou do veículo, direcção tomada pelo suspeito, etc.).
· Isolar a cena do crime. Fazer a área isolada tão grande quanto necessário. É sempre mais fácil diminuir os limites da restrição do que expandi-los.
· Isolar todas as testemunhas oculares para que estas não troquem impressões entre si.
· Chamar ajuda para os feridos.
· Continuar a preservação da cena do crime até que seja dada ordem em contrário pelo departamento da polícia.    


2. Pôr a cena do crime em segurança
.     
   

O tamanho e o tipo da cena do crime, determina as medidas de protecção a ser usadas. Num quarto de hotel, por exemplo, a colocação de um guarda deve ser suficiente para evitar os intrusos.
Cenas do crime exteriores podem ser mais complexas de isolar. Podem ser necessárias barreiras físicas que incluem:
- Fitas isoladoras da cena do crime;
- Cordas;
- Grades de segurança;
- Barricadas.















Adicionalmente, podem ser colocados de serviço guardas para assegurar que nenhum intruso viole a cena do crime.
   
O investigador que primeiramente toma conta da ocorrência, deve anotar os seguintes detalhes para o relatório da investigação e para possibilitar a resposta a questões apresentadas pelos advogados de defesa no julgamento:
· Quem fez a notificação? A que horas chegou o oficial? Quanto tempo demorou o oficial a chegar?
· As condições climatéricas e de visibilidade.
· Os nomes das pessoas na cena do crime; em particular, os nomes de quem passou pela cena do crime ou por alguma parte desta.
· Os factos verificados pelo primeiro oficial a chegar ao local do crime.
· As suas observações do local do crime e da localização de provas-chave
· Todas as acções que tomou desde o momento em que a responsabilidade passou do oficial para o investigador. O investigador deve acompanhar o primeiro oficial responsável pela cena do crime e tomar conta das principais observações e provas observadas. Se possível, isto deve ser feito sem entrar precisamente na cena do crime.

 

3. Recolha de provas

análise














· Fotografar periodicamente os espectadores na cena do crime, pois muitos dos criminosos voltam para agir como espectadores.
· Se há a possibilidade de se fazerem deslocações, deve-se estabelecer um posto de comando onde os investigadores e os técnicos da cena do crime podem coordenar a investigação bem como tratar os equipamentos e as provas. O posto de comando deve ser fora do perímetro da cena do crime.
· Começar a busca de provas na cena do crime pelos prováveis acessos e saídas. As armas e as ferramentas são deixadas, frequentemente durante a fuga.
· Procurar provas em qualquer área onde o criminoso pode ter esperado com o objectivo de cometer o crime.
· O ponto de entrada.
· A possível rota tomada pelo criminoso na cena do crime.
· Qualquer objecto que pode ter merecido a atenção do criminoso.
· Pesquisar alguns locais pouco usuais onde pode ser encontrada alguma prova, por exemplo, o frigorífico, etc. (dependendo do crime)
                                                      


Os diferentes padrões da busca no local do crime.


  • Concêntrico – circular, de dentro para fora ou de fora para dentro.

  • Busca por alas – a área é dividia em alas norte e sul.
    Cada ala é completamente explorada antes de se passar a examinar a outra.
  • Busca por grelha – a área é dividida nas alas norte, sul, este e oeste. Isto permite uma busca secundária por uma direcção diferente.
  • Busca por zonas – divide-se a área, normalmente uma sala, em zonas de tamanhos semelhantes. Cada zona é atribuída a uma pessoa para examinar.
  • Busca por sectores – divide-se uma área grande em zonas e depois aplica-se um dos padrões de busca anteriormente referidos para cada zona.
 
Métodos de registo da cena do crime e da sua condição:
- Desenho;
- Fotografia - (Os peritos tiram fotografias de tudo antes de mexer ou mover uma única parte da prova. O médico legista não irá tocar no cadáver antes do perito terminar de fotografá-lo. Há três tipos de fotografias que um perito tira para documentar a cena do crime: visão geral, média distância e close-ups).
- Notas/Apontamentos - (na investigação da cena de um crime, as opiniões não importam e as suposições podem ser prejudiciais. Ao descrever a cena de um crime, um perito faz observações factuais sem esboçar quaisquer conclusões).


Técnicas de recolha das provas:

Não se deve remover partes de uma prova. Deve-se antes enviar todo o objecto para o laboratório.

--> Itens diferentes devem ser colocados e empacotados
em recipientes diferentes.
--> Itens semelhantes mas recolhidos em locais diferentes devem ser embalados em recipientes diferentes.
--> Deve-se estar preparado com uma vasta variedade de recipientes, por exemplo, caixas de comprimidos, envelopes de provas, frascos de vidro, etc.
--> Deve-se estar preparado com uma vasta variedade de ferramentas de recolha de provas, por exemplo, pinças, chaves de fendas, alicates, cotonetes, serras, etc.
--> Os materiais manchados com sangue devem ser secos e guardados em recipientes separados e ventilados. Esses recipientes devem, depois, também ser colocados em zonas com uma boa ventilação. Resumo dos procedimentos que devem ser tomados por quem está a explorar o local do crime.
Usar equipamento que garanta uma barreira de protecção.
--> Usar equipamento que cubra os olhos, nariz e boca.
--> Se existir a possibilidade de contaminação para as roupas dos investigadores, deve-se usar uma barreira de protecção também para elas.
--> Quando se estiver a tocar em provas usando luvas, não se deve tocar em nenhum equipamento ou objecto pessoais.
--> Se uma parte do corpo for, inadvertidamente, exposta a um possível contaminante, limpa-se a área com uma mistura de água com lixívia (a qual contêm 10% de lixívia e 90% de água), ou com um toalhete.
--> Não se deve comer, beber, fumar ou pôr maquilhagem estando no local do crime.
--> Deve-se estar com atenção a qualquer coisa que nos possa, possivelmente, resolver o mistério.

2
 Levantamento dos objectos

 Se houver alguma dúvida, o investigador deve manter o perímetro à volta da cena do crime fechado com um oficial presente para assegurar a integridade da mesma. Uma vez tomada a decisão de levantar o perímetro da cena do crime:

[==] Todo o equipamento deve ser recolhido;
[==] As provas devem ser transportadas para a unidade de provas e/ou laboratório criminal;
[==] Todos os relatórios relativos à investigação dos investigadores e oficiais que estiveram presentes devem ser recolhidos;
[==] Qualquer ordem do tribunal ou mandato de busca deve ser assinado e retornado a tribunal, juntamente com uma lista dos artigos apreendidos sob a autoridade do mandato.